Cuidado com o que você diz quando brinca com as crianças.

#vemconversarcomagente Vamos bater um papo 29/09 às 15hr sobre como falamos com as crianças enquanto brincamos com elas. Acompanhe o bate papo e faça suas perguntas aqui mesmo nesse post. Deixe seu email para te avisarmos quando estivermos no ar! Nossa coluna é voltada para a valorização e defesa da brincadeira. Independente do tema, como […]
#vemconversarcomagente Vamos bater um papo 29/09 às 15hr sobre como falamos com as crianças enquanto brincamos com elas. Acompanhe o bate papo e faça suas perguntas aqui mesmo nesse post. Deixe seu email para te avisarmos quando estivermos no ar!

Já pensou nas coisas que você diz enquanto brinca com as crianças?

Nossa coluna é voltada para a valorização e defesa da brincadeira. Independente do tema, como autonomia, no último post, temos a brincadeira como essência por trás de nossas ideias. O objetivo é que a gente possa auxiliar vocês, mães – tias, vós, pais, e todos que acompanham a SOS mães -, no seu dia a dia e nas experiências de brincar com seus filhos, tornando esses momentos mais leves, prazerosos e porque não de aprendizado e crescimento?

mãe com criança no colo

Hoje, pensamos em falar sobre algo que é fundamental na brincadeira, e também em todas as nossas relações: a comunicação. Independente das dicas ou reflexões que vamos trazer sobre o brincar, a forma como vamos nos comunicar nessa vivência faz toda a diferença no tipo de relação que vamos desenvolver com nosso parceiro de brincadeira.

Já comentamos que a brincadeira é a linguagem universal das crianças. Por meio dela as crianças se comunicam em todas as culturas. E já vimos que até os bichos também o fazem – e nós adultos também, por mais que tenhamos esquecido de algumas coisas, hehe. Assim, muitas vezes, pode parecer que é algo tão natural que não precisamos estar atentos à forma como vamos fazê-lo. Muitas vezes, também, reproduzimos o que ouvimos de outros adultos enquanto brincávamos quando criança (nossos pais, avós…). Ou ainda, nós mesmos nos tornamos adultos, com pensamentos de adultos e nossas próprias concepções de adulto sobre a forma certa ou melhor de brincar – e comunicamos isso.

Por isso, viemos hoje aqui para pensarmos sobre como tem sido nossa comunicação dentro da brincadeira. Há espaço para o diálogo? Ou estamos impondo o que achamos certo? Há espaço para criar? Ou cada brinquedo tem sua regra e forma única de usar? Permitimos o erro, a frustração, a demora? Ou preferimos resolver logo a situação do nosso jeito? Talvez alguma coisa tenha feito sentido por aí, mas calma, vai dar tudo certo. Vamos lá, pensando no que muitas vezes dizemos durante a brincadeira, listamos algumas frases que podem ser muito positivas para as crianças e outras que talvez possamos repensar…

 

DURANTE UM DESENHO OU PINTURA

x3Frases que normalmente escapam:

– Não é assim que segura o lápis.

– Não pode pintar fora da linha.

– O sol não é azul, é amarelo!

Frases que poderíamos substituir:

– Não é assim que segura o lápis. POR: Está confortável para você desse jeito? Se não, experimente fazer assim, pode te ajudar.

– Não pode pintar fora da linha. POR:  Olha, você está pintando o papel todo, está gostando?

– O Sol não é azul, é amarelo! POR: Uau, que Sol diferente! Nunca tinha visto azul, o que achou?

Frases muito legais de serem ditas:

– Que lindo seu desenho!

– Muito obrigada, adorei sua obra de arte!

– Você é muito criativo/cuidadoso/inteligente!

 

DURANTE UM JOGO COM REGRAS ( MEMÓRIA, QUEBRA CABEÇA, AMARELINHA…)

x4Frases que normalmente escapam:

– Tá errado, esse não é o par!

– Tá errado, essa não encaixa aí!

– Não é assim, tem que pular com um pé só!

Frases que poderíamos substituir:

– Tá errado, esse não é o par! POR: Você acha que esses são iguais? Ah, então você criou uma nova regra para o jogo? Me explica, então. Podemos fazer do seu jeito e também do meu.

– Tá errado, essa não encaixa aí! POR: Parece que não está encaixando direito, não é? Será que é outra peça? Você quer ajuda?

– Não é assim, tem que pular com um pé só! POR: Uau, você está pulando de um jeito diferente! Quer tentar pular com um pé só ou prefere assim? Vou experimentar como você está fazendo.

Frases muito legais de serem ditas:

– Uau, você está pulando muito legal!

– Como você é esperto/inteligente/atento/tem ótima memória!

– Que ideia diferente, vou experimentar também!

 

DURANTE UMA BRINCADEIRA DE MONTAR, CONSTRUIR…

autonomia bloquinhosFrases que normalmente escapam:

– Não é assim que monta, tá errado.

– Não é desse jeito, deixa que eu faço.

– Tá demorando muito, vou fazer porque faço mais rápido

– Não precisa chorar, só desmontou.

Frases que poderíamos substituir:

– Não é assim que monta, tá errado.POR: Como é que você está montando? Não conheço esse jeito.

– Não é desse jeito, deixa que eu faço. POR: Você quer ajuda?

– Tá demorando muito, vou fazer porque faço mais rápido. POR: Você está bem envolvido nessa brincadeira, não é? Se precisar de ajuda, pode me chamar.

– Não precisa chorar, só desmontou. POR: Nossa, que pena que desmontou. Você ficou triste? Tudo bem, acontece. Você quer montar novamente? Posso te ajudar, se quiser.

Frases muito legais de serem ditas:

– Me conta/explica/mostra como você fez isso!

– Nossa, você é muito forte/inteligente/cuidadoso/criativo!

– Uau, que casa legal/bonita/grande/pequena/colorida que você fez, eu adorei! E o que você achou?

Se essas sugestões parecem difíceis ou permissivas para você, queremos lembrar que não estamos valorizando sermos o “adulto legal” acima de tudo. Ao contrário, é essencial lembrarmos a importância de darmos limites, ensinarmos o que achamos importante e sermos firmes quando necessário. Sermos o “adulto legal” e sem limites é tão ruim quanto usar de uma comunicação agressiva ou centrada em nós mesmos. Não precisamos também mentir sobre o que gostamos ou não, podendo assim valorizar uma relação verdadeira e sincera com nossos filhos. A diferença está na forma como tudo é comunicado.

x6

 

É importante pensar se aquilo que estamos dizendo é realmente necessário para a criança ou é algo que queremos impor por vontade nossa, talvez sem benefício algum para ela, talvez até tirando uma oportunidade dela aprender e se desenvolver. Se ela está prestes a colocar o dedo na tomada, o “não” será claro e forte, sem dúvida; mas se ela simplesmente chamou o gato de “au au”, o “está errado!” pode ser substituído por um mais carinhoso: “ah, esse é o gato, que faz ‘miau’. O ‘au au’ é o cachorro.”

Uma boa dica é pensar sempre na mensagem que estamos passando com nossa fala. Se dizemos que “o céu não pode ser pintado de verde”, estamos passando a mensagem de que não é permitido ser criativo ou experimentar algo diferente. Se dizemos que “não precisa chorar” quando algo ruim acontece, mesmo que pareça bobo para nós, estamos dizendo também que não é permitido expressar nossas emoções.

Então, a comunicação tem uma função primordial no desenvolvimento das crianças, principalmente na autoestima delas, pois é a partir do que nós adultos comunicamos que elas constituem a ideia do que são, de seus potenciais e dificuldades.

Dessa forma, se só comunicamos a elas suas dificuldades, elas colocarão uma lupa em todas as dificuldades que têm; assim como valorizarão os seus potenciais e se sentirão muito mais seguras se ouvirem das pessoas a sua volta que elas são capazes e fazem muito bem suas atividades. Sendo assim, respire e pense: o que estou falando está valorizando o esforço e desenvolvimento dessa criança?

 

comentários

Psicólogas e fundadoras da DimDom Babysitters, apaixonadas por crianças e brincantes eternas. Da amizade, que mais parece um casamento, veio nossa cria DimDom e não param de surgir projetos na área infantil. Aprendendo e nos descobrindo a cada dia com tantas experiências, conhecendo tantas casas e tantas histórias, e defendendo sempre a criatividade e autonomia, queremos compartilhar nosso trabalho e repensar constantemente sobre as relações adulto-criança.

Deixe uma resposta