Ir ao teatro com bebê vale a pena?

Imagem ilustrativa de um palco de teatro
Imagem Pixabay

Confesso que minha pequena (11 meses) me surpreendeu e até bateu palminha durante a peça infantil O menino mais rico do mundo. Pulava no meu colo quando tinha música e ficou impressionada com as cores e efeitos de fumaça que vinham do palco. A criança tem que ser apresentada a cultura e a arte para entende essas expressões e quem sabe passar a apreciá-las. Segue a mesma ideia de: para dizer que não gostar de quiabo é preciso experimentar.

Com o primeiro filho somos mais animadas para mostrar tudo para eles. Lembro que levei o Henrique com 8 meses numa peça de teatro pela primeira vez. Era um projeto para bebês a partir de 6 meses no CCBB-Brasília. E um raio de um sapato vermelho, que fazia parte da cena, estragou nosso passeio. Meu filho, como vários bebês, tinha loucura por sapato e ficou tentando pegar o sapato. Ele não ficava quieto de jeito nenhum e resultado: tivemos que sair antes da peça terminar.

Desde então, acredito que os bebês devem se acostumar com o viver em sociedade. Logo em seguida entramos no programa de Musicalização para crianças, um projeto da Universidade de Brasília (UnB), depois veio a escola e aos poucos meu filho, que ainda tem muita energia, está aprendendo a prestar atenção e se concentrar. Hoje, ele adora ir ao teatro e a contações de histórias.

Bianca é mais tranquila, é o segundo filho e desde bebezinha vai em tudo com a gente. Como não podemos abaixar o som do mundo é melhor acostumá-la a conviver com o barulho e assim seguimos a vida mais tranquilos. O interessante é que ela curti e observa tudo. Dificilmente dorme ou reclama durante o passeio, até festa com banda de rock ela já foi e ficou vidrada nas luzes. Mas também quando entra no carro desmaia e dorme profundo.

Em nem todas as peças de teatro e shows de música minha dupla fica quieta curtindo. Eles precisam de incentivos do tipo: Olhe lá… Preste atenção no que ele vai fazer… Escute a letra.. Vamos dançar… Porém o que me surpreende e me faz continuar a levá-los é ouvir, principalmente o meu mais velho, contar para os outros onde ele foi e como foi a apresentação. Aí sempre penso: e não é que ele prestou atenção, do seu modo, mas prestou.

Este ano, fomos ao Baile de Carnaval do grupo Palavra Cantada. Lá, enquanto meu filho catava confete para brincar com o primo e minha pequena dormia no carrinho com toda aquela barulheira do show fiquei pensando: será que vale a pena vir com eles? Nos quinze dias seguintes descobri que vale. Escutamos os CDs e assistimos os DVDs do Palavra Cantada diversas vezes, dançamos e brincamos muito relembrando o show.

Então respondo a pergunta: Ir ao teatro com bebê vale a pena? Lógico que vale!

E você o que acha? Deixe seu comentário, diga o que achou e contribua com suas ideias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.