Mãe e filhas adultas viajando sem crianças: Com filhas por aí!

Mãe com suas filhas em São Paulo.
Foto: Com Filhos por aí!

Uma pausa para os filhos, tempo para nós e atenção para ela: minha mãe! Foi uma viagem de última hora, curta com duração de 4 dias e sem muita programação. Fomos para São Paulo eu, minha mãe e minhas duas irmãs: só as meninas. A ideia era ficarmos juntas, passear, descansar a cabeça e como sempre conversar muito. Missão cumprida! Deu tudo certo! As crianças ficaram bem e nós nos divertimos bastante.

Bem, os filhos ficaram com nossos maridos e auxiliares domésticas. 4 dias sem mamãe fez bem a eles e a nós também. Todos sobreviveram. Quem me conhece deve estar perguntando: e seu irmão. Bom, tenho certeza que ele teria pedido para voltar no primeiro dia que “batemos perna” na Rua Oscar Freire. Imagine a cena: 4 mulheres em uma rua cheia de lojas bacanas!

[themecolor]Deixar a filha pela primeira vez[/themecolor]

Foi a primeira vez que minha filha de 1 ano ficou sem mim por tanto tempo. Como a viagem não foi programada com antecedência relutei à ideia de ir por dois dias até que minhas irmãs emitiram a passagem. Aí juntou com o apoio do meu marido e tive que lutar contra meus medos e anseios de “deixar” as crianças, arrumar a mala e ir. No fundo eu queria ir mesmo. Precisava de um tempo para mim com pessoas que eu amo.

Quando decidi ir lembrei do que minha amiga do coração disse para mim quando viajei pela primeira vez sem meu filho mais velho. “Os dias antes da viagem vão ser horríveis, durante a viagem vai ser muito bom e quando você voltar será maravilho porque você foi, voltou e deu tudo certo”.

Mesmo com pouco tempo tentei deixar as coisas bem organizadas. Fiz uma tabela com a rotina das crianças, mostrei onde ficava tudo para minha auxiliar doméstica e recomendei mil vezes: qualquer coisa me liga! De lá, liguei pelo menos duas vezes ao dia para saber se estava tudo ok e orientar em algumas coisas triviais do dia a dia com meus filhos.

[themecolor]A viagem das meninas[/themecolor]

Batemos pernas por São Paulo caminhando, de táxi e de metrô. Tentamos ir a lugares que todas gostassem. Fizemos compras nas lojas da Rua Oscar Freire, mas também conhecemos e acabamos comprando no Bairro Brás. Passeamos sem pressa na feira da Praça Benedito Calixto e nas várias bancas ao redor do local.

Assistimos dois lindos musicais: Charles Chaplin e Mudança de Hábito. Dois espetáculos maravilhosos, super bem produzidos e organizados.

Dos restaurantes que fomos gostei muito do Lellis Trattoria onde comemos um filé à parmegiana delicioso. Fomos também a IL Ristorante da Famiglia Mancini um lugar ótimo para ir com pessoas adultas, pois tem música ao vivo de alta classe e um ambiente super agradável. A rua Avanhandava onde ficam os restaurantes da Famiglia foi restaurada em uma parceria público-privada e é um encanto de lugar.

Essa viagem vai ficar em nossas lembranças. Era muito gostoso, quando entravamos em algum lugar, ouvir minha mãe toda feliz e orgulhosa dizer: são minhas filhas.

A vida é mesmo engraçada. Quando pequenos a mãe é tudo na vida de uma criança. Aí crescemos e nos distanciamos por circunstâncias do momento que passamos. Acredito que só entendemos nossa mãe quando estamos na situação de mãe também. Daí reafirmamos o elo de amor e passamos a entender o sentimento precioso que ela tem por nossos filhos, os netos.

Agora temos um maravilhoso desafio: programar uma viagem dessas por ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.