Mudança com filhos pequenos

Criança mostra acerola do seu quintal.
Bianca e as descobertas no quintal novo! Acerola colhida na árvore.

Há um mês e meio, demos uma enorme sacudida na nossa vida! Nos apaixonamos por uma casa e resolvemos mudar do nosso apartamento para realizar o sonho de ter mais espaço. Achei que iria ser tranquilo porque as crianças se adaptam bem a novas situações. Porém, não tinha noção como seria cansativo colocar as coisas em ordem tendo dois exploradores em um ambiente novo 24hs.

Estamos adorando morar em uma casa. Mas tivemos que aprender a lidar com as novas situações: a escada e os batentes, a piscina, o quintal, os bichos e tudo mais de novidades que surgiram em nossas vidas. Minha pequena tem um ano e sete meses e está naquela fase do descobrimento. Quer mexer, ver e pegar em tudo a todo tempo. E a palavra “não” para ela (e 99% das crianças nessa fase) gera uma choradeira sem fim. Para remediar isso, haja conversa e criatividade de como lidar com as situações.

Meu grandão com 5 anos é o explorador chefe e o quintal foi a extensão do seu quarto por umas duas semana. Ele ama terra e mato. Toda fruta que comia queria guardar a semente para plantar no quintal. Tenho até medo do que vai nascer por lá. Ele plantou várias sementes em vários lugares.

[themecolor]Dia da mudança[/themecolor]

Antes de começar a empacotar tudo tive o cuidado de poupar as crianças e deixei elas na casa da minha irmã por dois dias. Um dia embalamos tudo (contratei um empresa de mudança porque fazer tudo seria bem difícil e gastaria muito tempo), dormimos na casa dela e no dia seguinte descarregamos as caixas e os móveis na casa nova que fica em um condomínio residencial.

A primeira noite na casa tivemos a maior paciência com as crianças. A pequena não queria dormir pois tinha de conhecer o lugar novo. Ficou horas andando pela casa. No fim, ela dormiu na nossa cama (o que raramente acontece) e se sentiu mais segura depois de tanta novidade.

Criança e a futura horta.
Crianças e a futura horta.

[themecolor]Cuidados com as novidades[/themecolor]

Tudo na vida tem vantagens e desvantagens e morar em uma casa também. Tivemos que aprender a lidar com algumas questões simples, mas que com criança o cuidado deve ser redobrado.

  • Piscina: sempre com rede. Se estiver sem a proteção tem que ter um adulto por perto. Isso sempre! Com o tempo relaxamos nesta questão, mas não podemos cair nessa bobeira, é aí que mora o perigo. Fique sempre alerta!
  • Piscina sempre com rede e adulto por perto.
    Piscina sempre com rede e adulto por perto.
  • Escada: nosso jeito de lidar com a situação foi diferente. Colocamos aquela grade com porta no andar de cima (fica fechada a noite) e ensinamos as crianças a subir e a descer com cuidado. Sempre tentamos estar por perto quando a pequena esta na escada. Nossa tática tem funcionado e não tivemos nenhuma queda grave.
  • Bichos: “se achar um bicho estranho chame algum adulto e não mexa”. Mudamos para um local que tem mata por perto e aí temos a visita de alguns insetos e animais de vem em quando. Aproveitamos para ensinar as crianças a respeitar a natureza. É super interessante ver o rosto delas ao se deparar, por exemplo, com um sapo de verdade (ele é bem diferente dos desenhos).
  • Plantas diferentes: “não mexa e chame um adulto”. Passeamos juntos, sempre que podemos, pelo quintal e pelo condomínio mostrando os vários tipos de plantas para as crianças e explicando que algumas tem líquidos que não fazem bem a nossa saúde, outras tem espinho, que não pode por na boca e por aí vai.

Para mim a melhor forma de prevenir alguns acidentes é explicar as consequências dos nossos atos.

Escada com grade de segurança. A noite fica fechada para as crianças não descerem sozinhas.
Escada com grade de segurança. A noite fica fechada para as crianças não descerem sozinhas.
Aprendendo a subir as escadas sozinha.
Aprendendo a subir as escadas sozinha.

[themecolor]Deixe as caixas e curta a vida nova com seus filhos[/themecolor]

Na primeira semana, estava doida para por tudo em ordem, mas sempre tinha que parar para atender as crianças ou para ver o que elas estavam fazendo (o silêncio dos pequenos sempre me deixa preocupada). Na segunda semana, o cansaço começou a bater e a noite ficava esgotada. Foi aí que resolvemos deixar as caixas da mudança de lado e começar a curtir a casa, o quintal e a piscina com as crianças.

Como mudamos para o outro lado da cidade, tive que tirar o meu grandão da escola e das atividades extras curriculares (judô e natação) porque era inviável levar ele todos os dias. Assim nossas férias de fim do ano ganharam um mês a mais. Estou com as crianças praticamente 24hs. Então para não enlouquecer comecei a curtir a nova vida com eles.

Em fevereiro de 2016, nossa vida vai ter mais emoção: começam as aulas na nova escola! E assim segue a vida, cheia de novidades porque calmaria com criança é sem graça e não combina.

Brincando de arrumar o quarto!
Brincando de arrumar o quarto!
Lanche nas panelinhas de brinquedo.
Lanche nas panelinhas de brinquedo.
Descobertas de Bianca nas caixas da mudança: uma fita cassete.
Descobertas de Bianca nas caixas da mudança: uma fita cassete.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.