Negócios de Mães: Bianca Puglia – Livre Maternagem

É muito comum aqui na SOS MÃES quando divulgamos serviços que ajudam e apoiam mães, que esses serviços sejam oferecidos também por outras mães. Claro, não é uma regra, mas não há como negar que quando é uma mãe que oferece um serviços à outra mãe, parece que este vem envolvido com um “quê de especial” 😉

Por isso, resolvi criar uma coluna sobre mães empreendedoras: NEGÓCIOS DE MÃES! Onde falaremos com mães que estão dando o melhor de si em seus negócios e sobre como é louca e fantástica essa vida de mãe que empreende.

Nosso primeiro post é com a Bianca Puglia, uma mãe empreendedora fantástica que ajuda outras mães em um dos momentos mais especiais de suas vidas: o parto. A Bianca fundou a LIVRE MATERNAGEM  depois que se tornou mãe e formou-se doula. Desde então divulga informação sobre humanização e criação com apego em uma página fenomenal no FACEBOOK e junto com suas sócias e colaboradoras, tem ampliado o leque de serviços da sua empresa.

 

 

Quais são os serviços que a LIVRE MATERNAGEM oferece?
A Livre Maternagem é uma empresa que oferece apoio, acolhimento e assistência para a mulher na gestação, parto e puerpério para que tenha a oportunidade de maternar conscientemente – com qualidade, respeito às escolhas, informação e satisfação do binômio mãe-bebê.

Oferecemos o apoio da Doula durante todo o processo gestacional, de parto e puerperal, consultoria de amamentação, cursos, rodas e workshops voltados para o preparo ao parto,pós-parto e mater/paternidade, acupuntura gravídica e para estímulo da lactância, laser de baixa intensidade para cicatrização de fissuras e yoga para gestantes e pós-parto.

Além dos nossos serviços presenciais, perpetuamos textos, estudos, dicas, links e idéias sobre assuntos que regem a maternidade, focada na humanização do parto e nascimento em nossa página no Facebook, que atualmente conta com 47 mil seguidores. (nota da Fernanda, eu: UAU!! 😉 )

Como o seu negócio começou?
Desde que soube que estava grávida, me envolvi profundamente no mundo da humanização do parto e encontrei nele o alento que sempre procurei: ajudar mulheres a buscar e encontrar o respeito necessário a elas e aos bebês que virão ao mundo.

Eis que meu filho nasceu e entendi na prática a importância de se ter o apoio emocional e físico de uma doula, além do respeito a mim e ao meu bebê. Encontrei então a oportunidade de me profissionalizar no Brasil e nos EUA e dividir com tantas outras mulheres a busca por esta atenção, autonomia e protagonismo em um momento tão singular.

 Criei portanto a Livre Maternagem e tornei ela meu maior instrumento de trabalho e  mudança que acredito ser necessária no atual cenário obstétrico no Brasil.

 

 

Alguns dos serviços da Livre Maternagem são oferecidos com foco no pós parto, como é trabalhar com mães? 
Trabalhar com mães é maravilhoso. Elas tem uma capacidade incrível de realização, empatia e compromisso. Customizar esse atendimento para elas por causa da demanda específica da idade da criança, por exemplo, é fundamental pra que consigamos atendê-las da melhor forma. Um exemplo prático: nos solicitaram que a turma de pós-parto fosse a tarde, visto que a maioria das mães acorda muitas vezes à noite para amamentar os bebês e pela manhã estão se recompondo dessa maratona. A tarde elas estão mais ajustadas para conseguirem sair de casa. Oferecer essa flexibilidade de horário é fundamental para que possam retomar suas vidas sociais.

Poder flexibilizar esse atendimento é o que as traz de volta para o convívio social e tão importante no período de pós-parto.

 

Como é o momento de contratação dos serviços que você oferece? Como você acredita que mães se sentem “bem atendidas” quando contratam algum serviço?
Normalmente apresento uma proposta de serviços conforme necessidade da mãe. Depois nos encontramos pessoalmente, fechamos o contrato e continuamos a relação doula-cliente até o pós-parto (e grande parte das mães acabam firmando uma amizade além do contrato, me permitindo muitas vezes acompanhar o crescimento da cria).

Mães se sentem felizes e satisfeitas quando paramos para escutá-las. Quando ouvimos suas necessidades, demandas, aflições, conquistas e utilizamos isso em prol do bom atendimento. Elas se sentem amparadas quando paramos de colocar tantas verdades acima do sentimento delas.

 

E como vocês mantêm o relacionamento após a primeira vez que atendem uma mãe?
Temos um ciclo de atendimento: a mulher que contrata o serviço da Doula na gestação, pode também querer fazer acupuntura gestacional e yoga. Oferecemos esses serviços, o que entrelaça o relacionamento.

Após o nascimento, damos a consultoria de amamentação, fazemos o laser de baixa intensidade para cicatrização mamária, caso tenha tido alguma fissura. Todo o processo de gestação, parto e pós-parto, nós nos mantemos presentes. Além disso, dar continuidade ao relacionamento é algo muito orgânico da equipe Livre Maternagem. Conquistamos não apenas uma cliente, mas costumamos levar conosco uma amizade com aquela mulher. Ver seu crescimento materno é combustível para continuarmos nesse caminho junto delas.

Por meio de rodas, conversas (formais e informais), damos sequência no atendimento e fazemos a ponte de contato com outras mães na mesma situação puerperal. Isso ajuda a mulher a entender seu momento. Além disso, apoiamos por meio de literatura, links, textos importantes que podem dar suporte emocional para o pós-parto, dependendo da necessidade daquela mãe. Tudo de forma natural, sem imposições. Isso faz diferença.

Como é se comunicar e se relacionar com mães, que tipo de informação elas buscam?
É um mundo incrível e que cada vez mais tem mostrado sua importância. Mães são espertas, atentas e intensas quando o assunto é gestação, parto e maternidade, de modo geral. Costumam buscar o que consideram melhor para elas e suas crias. Por isso informações de qualidade, baseadas em evidências científicas, são tão importantes para que elas façam escolhas conscientes. Estamos num período de bombardeio de informações, conflitos e formação de opinião em tantos aspectos no mundo materno, ainda mais no Brasil.

Desde a mudança no cenário obstétrico até criação e maternagem/paternagem consciente. Tudo isso tem mudado de uma forma muito espontânea, rápida e profunda. Conseguir acompanhar tantas mudanças tem sido um trabalho árduo tanto para profissionais da área quanto para as próprias mães.

Por isso, levar informação lúcida é de grande responsabilidade. Se antes o grande problema da gestação era qual o melhor modelo de carrinho comprar, hoje percebo que, cada vez mais, elas buscam informação sobre “qual a melhor maneira do meu filho nascer”.

É crescente o número de mulheres que pegaram as rédeas do seu processo gestacional e não deixaram somente no colo dos profissionais de obstetrícia. Hoje elas querem entender o processo fisiológico, as etapas do parto, as mudanças no corpo, o nascimento, a amamentação, os picos de crescimento, saltos de desenvolvimento. E isso é incrível!

Alguns profissionais não conseguem aceitar essa mudança e protagonismo da mulher, mas os que tem conseguido modificar e melhorar seu suporte, tem se destacado.

Qual você diria que é o grande diferencial da Livre Maternagem?
Diria que são dois diferenciais: o acompanhamento completo gravídico-puerperal e a linguagem de fácil acesso nas conversas. A forma de apresentar os assuntos, tanto a parte visual (layouts bem diagramados e fáceis de interpretar), quanto em textos. Quanto mais facilitamos e tiramos vícios técnico-linguísticos, mais mulheres alcançamos.

Qual dica você daria a outros profissionais que trabalham/atendem mães, especialmente no pós parto imediato?
Ouçam. Muito mais do que falam. Ouçam. Mulheres precisam ser ouvidas. Para darmos suporte, precisamos ouvir e entender o que se passa com ela. Cada mulher tem uma história. Nenhuma delas é igual. As demandas podem ser parecidas, mas nunca iguais. Portanto, para falar, primeiro ouça.

Gostaria de compartilhar os próximos passos do negócio da Livre Maternagem?
Recentemente abrimos o Espaço Livre Maternagem na Asa Sul, onde atendemos nossas gestantes e puérperas para acupuntura, yoga, encontros com clientes para preparo ao parto, consultoria de amamentação, entre outros serviços.

Começaremos as rodas e workshops com assuntos voltados para a maternidade nos próximos dias. Estamos muito animadas! Além disso, firmamos uma parceria com uma universidade em Brasília e levaremos informação sobre humanização para profissionais da área de saúde, para que desde o momento acadêmico possam elevar suas práticas ao respeito e dignidade no atendimento.

 

 

Sei que você também é mãe e gostaria de saber: Como é ser uma mãe empreendedora? Quais são os seus maiores desafios?

Sou grande entusiasta do empreendedorismo materno, não a toa, entrei nele. Ser mãe empreendedora me traz desafios enormes. Ao mesmo tempo que tenho o privilégio de poder flexibilizar os meus horários para poder estar mais presente com meu filho, trabalho intensamente. Como faço atendimento à mulher em trabalho de parto, não tenho como planejar o horário que aquela mulher entrará em TP. Portanto, precisei organizar uma grande rede de apoio para que meu filho não ficasse desamparado em momento algum e eu tivesse a liberdade de sair no horário que precisasse.

Acredito que, mais do que nunca, o empreendedorismo materno trouxe empoderamento para mulheres. Precisei estar disposta a construir e a desconstruir diariamente tantas idéias arraigadas principalmente sobre a criação e educação dos filhos para que o processo de empreendedorismo pudesse realmente permitir que eu fosse uma mãe mais presente e com sucesso no meu projeto empresarial.

Uma mudança categórica na nossa comunidade só é viável com diversidade e participação ativa. A presença das mulheres nesses cenários é fundamental para que mudanças efetivas nas esferas sociais, políticas e individuais possam acontecer. Para isso, acredito que é fundamental que as mães tenham autonomia para que possam conquistar mais espaço, vez e voz, fortalecidas umas pelas outras, com um objetivo comum.

 

Conheça mais a Bianca e a LIVRE MATERNAGEM

Email: bianca@livrematernagem.com.br
Whatsapp: (61) 98155.9150
Página do FB: www.facebook.com/LivreMaternagem
Site: www.livrematernagem.com.br

Bianca, foi um prazer te receber aqui na SOS MÃES!

Gostou? Então compartilhe com outras mães!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.