Sair de casa (com seu bebê) é preciso!

Escrevendo o SOS MÃES às vezes tenho a impressão que estou trancafiando as mães em casa ahahhahaha. Falo que sair de casa com recém-nascido é difícil, que dá trabalho, que tem que se munir de profissionais e serviços que facilitem a vida DENTRO DE CASA.

Bem, tudo isso é verdade hahahahah……. MAS, é humanamente impossível viver isolada do mundo. Aliás quem quer viver assim? Não faz bem para ninguém, nem para a mãe, nem para o bebê, nem para companheiro/a , nem para o restante da família. Chega um momento em que precisamos ver outras pessoas além de nós mesmas no espelho e nosso próprio bebê, é preciso ter uma conversa adulta e falar de outras coisas que não sejam mamadas e dormidas 😉

SAIR DE CASA COM SEU BEBÊ É PRECISO! 

Tirando os passeios matinais que começamos desde o dia 02 de vida para fazermos banho de sol, ida a pediatra e vacinação, só saímos pela primeira vez em família quando Helena tinha 15 dias. De vacinas tomadas, fomos a um restaurante com uma área ao ar livre e bem tranquilo. Naquela época, tudo ainda era bem fácil porquê Lelê só dormia. ( Juro! No primeiro mês nem chacoalhão acordava minha filha, o que mudou completamente no segundo mês, mas esse é assunto para outro post).

Agora a primeira saída REAL SOZINHA foi quando Helena tinha um pouco mais de 20 dias. Fui a um grupo de pós parto, formado por algumas mães aqui de Brasília.

A saída foi assustadora porque eu não sabia se ia dar conta de tudo. Tinha que levar kit de troca ( fraldas, lencinhos, pomada, trocador, roupa), lembrar de carrinho, tirar e colocar o bebe conforto, um lanche para o encontro, e por final, não esquecer Helena no carro ahahahahhahahahahah. Tudo eu comigo mesma! Lembro de sair arrumada porque não aguentava mais usar pijamas em casa, queria me sentir gente e não apenas mãe, mas lembro que não foi a melhor escolha porque a roupa escolhida dava um trabalho do cão para tirar e amamentar. Não lembro da roupa, mas lembro do trabalho todo hahahahhahahhahahahahahh. Me acabo de rir comigo mesma só de lembrar.

O encontro foi ÓTIMO! Foi ótimo ver gente, outras mulheres com filhos pequenos, falar sobre angustias e preocupações e dar risada. Lembro até de ter saído um pouco me achando a estranha desse encontro porque em parte dele, as mulheres falavam de coisas que para mim ainda eram distantes, como volta ao trabalho e eu ali com uma bebê de 20! dias! Ahhh se eu soubesse…..

IMG_20131203_105957Bem, mas depois dessa saída nunca mais parei em casa com Helena hahhahahah! E conforme minha filha crescia sair de casa era cada vez mais necessário,especialmente porque fui percebendo que ela ficava muito mais tranquila na rua do que em casa. Lógico que as saídas não eram longas ( em média 1-2 horas ), não ia a lugares muitos distantes para que ela não ficasse muito irritada no bebê conforto quando estava acordada, deixava a mala sempre semi pronta para não esquecer de nada e aos poucos fui pegando o jeito, como TODA MÃE PEGA! Prometo, eu e você amiga que tem medo de sair com o bebê, somos irmãs gêmeas de pais diferentes e prometo que quando chegar a sua hora de sair tudo vai dar certo e se não der na primeira, será na segunda, na terceira e por aí vai.

Algumas dicas:

  • Saia a primeira vez. É estranho eu dizer, mas o maior problema é a primeira vez. Então tire logo esse bode da sala. Vá até a casa de uma amiga ou de um familiar, um lugar onde você se sinta a vontade e pode amamentar em paz, esquentar a mamadeira, deixar o bebê dormindo em um cantinho, tenha algum lugar de apoio para trocar o bebê. Um lugar que você se sinta segura e que você QUEIRA IR;
  • No começo evite aglomerações. Os bebês ainda estão fortalecendo o sistema imunológico e nem sempre estão com todas as vacinas em dia e dependendo do temperamento do bebê ele tende a ficar bem nervoso;
  • Aprenda a trocar o bebê no carrinho. Nada é mais frustrante que não encontrar um lugar para trocar o bebê. Juro. Não há trocadores em lugares nenhum, só em shopping! Já troquei minha filha em tudo que é lugar: em cima de mesa no meio de restaurante, juntando duas cadeiras, no banco do carro e o menos pior sempre foi o carrinho (até hoje nas emergências hahah);
  • Aprenda a fechar e abrir o carrinho. Sério. Treine. Assim, não ficará procurando os botões, nem se sentindo insegura em colocar o bebê ou acoplar o bebê conforto;
  • Conheça grupos de mães, descubra onde elas se reúnem, participe de grupos no face. Faça novas amizades. Parece difícil, especialmente nesse momento de transformação, mas será um acalento estar com mães que entenderão seus momentos difíceis e também cairão na gargalhada com as desgraças. Pergunte para uma amiga que já passou por isso. Se for aqui de Brasília, acompanhe as dicas do SOS MÃES ou pergunte para mim;

IMG_20140212_134312.E por último: COMPRE/EMPRESTE UM SLING! De qualquer TIPO (sling deveria ser item obrigatório em enxoval)! Ele te dá liberdade, deixa os braços livres, aconchega o bebe e o deixa tranquilo, facilita amamentar em público, você pode ir para onde bem entender sem o trambolho do carrinho que não entra em certos elevadores ou vira o maior mico na frente da escada rolante. Eu usei – MUITO – todos os modelos do pessoal da Las Cholitas (facebook e site). Eles são o máximo e super atenciosos: ensinam várias amarrações e o modelo mais adequado para cada mãe e seu bebê. Inclusive, uma das nossas primeiras saídas foi para comprar um sling! Helena não tinha 30 dias.

 

Esse tópico dá muito passeio, especialmente aqui em Brasília.

Acompanhe a gente no face e no insta, contaremos sobre lugares legais para ir com seus bebês e conhecer outras mães.

Facebook: SOSMÃES

[instagram-feed num=3 cols=3]

 

Você tem alguma dica de passeio, em qualquer lugar do Brasil, para mães com bebês de até 6 meses? Conte para a gente que nós ajudamos a compartilhar com outras mães.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.