Viagem longa com filhos

Já pensou em ficar 155 dias viajando com dois filhos pequenos? Foi o que fez o casal Maracy e Thales, do blog Pequenos pelo Mundo, uma viagem longa com os filhos em 2015. Na época Thomas era um bebê de 4,5 meses e Lucas tinha 2,5 anos.

Essa verdadeira família apaixonada por viagem, passou 5 meses pelo sudeste asiático e Austrália. Maracy afirma que foi incrível! Ela conta que o Thomas nem engatinhava quando começaram a viagem e ele voltou dando os primeiros passos.

Atualmente, eles moram na Alemanha e sempre que podem dão uma escapada e pegam a estrada com a família. A ideia da viagem, um período sabático em família,  surgiu quando Maracy estava grávida do Thomas. Depois de muito planejamento e preparação saíram no mundo com os pequenos. Eles passaram pela Malásia, Tailândia, Hong Kong, Macau, Vietnã, Camboja, Indonésia e Austrália durante 5 meses (155 dias). 

Tuk Tuk no Camboja

Leia a entrevista com as dicas e informações importantes da Maracy Monteiro sobre como se preparar para uma viagem longa com os pequenos pelo mundo.

Como é organizar uma viagem longa com criança?

A primeira coisa sobre fazer uma viagem longa com as crianças é pensar se é isso mesmo que você quer! Falo isso porque é uma viagem que você vai sair da sua  rotina, em que cada dia será um local diferente e as crianças estarão 24 horas com vocês, dependendo de vocês. Eu acho isso incrível para criar uma conexão em família, mas muitas pessoas precisam de um tempo maior para si. Então, você precisa pensar se isso é bom para você.

Além disso, numa viagem longa você não vai poder levar tudo que gostaria de levar. Ainda mais se você for ficar mais de seis meses fora. As malas precisam ser bem resumidas ao necessário.   

Com o que vocês ficaram mais atentos nesse tipo de viagem?

Fazer um viagem longa ou curta você precisa ter os mesmos cuidados. O que difere é o tempo de planejamento. Porque você vai ter que verificar todos os destinos, reservar os hotéis, todos os voos.

Mas claro que você tem outros detalhes que numa viajem curta você não precisa se preocupa. Por exemplo o local onde mora. Você vai ficar um ano viajando e o que vai fazer com a sua casa? Alugar? Ou se você mora de aluguel?  Vai devolver o imóvel ou sublocar ele? O que fazer com as contas, com o imposto de renda e etc? E durante esse tempo fora, vai acontecer algo do tipo casamento de alguém querido ou outro evento importante? Você precisa ficar atento a esses detalhes.

Outra coisa que é importante prestar atenção é o clima do lugar de destino, para você não precisar carregar muitos tipos de roupas (para o calor e para o frio). O interessante é tentar pegar a melhor época do ano no país que você pretende ir.   

No Camboja usando os carregadores de criança – Canguru Ergo Baby

Como vocês decidiram quanto tempo ficariam fora e os lugares que iriam?

Quando a gente organizou a viagem, no primeiro momento queríamos ficar um ano fora. Mas decidimos ficar 5 meses porque era o tempo que conseguiríamos nos financiar e não ter que sublocar o nosso apartamento que morávamos em Frankfurt. Assim, escolhemos países com um custo de vida menor para a gente poder ficar mais tempo. Aí optamos pelo sudeste Asiático porque ele cabia em nosso bolso. Ainda ficamos na Austrália (40 dias) em casa de amigos e motorhome e conseguimos equilibrar as fianças assim.

Qual a diferença entre viajar de férias e passar mais de quatro meses viajando com as crianças?

É descansar. Quando a gente viaja de férias quer aproveitar tudo e acaba voltando mais cansada de quando a gente foi. Quando a viagem é longa você precisa de um dia para descansar. Um dia você faz um passeio cansativo e no outro você vai para a piscina e descansa para a próxima etapa.

Qual roteiro vocês acham mais legal nesse tipo de viagem para ir com criança?

Ter contato com a natureza e atividades gratuitas. Por exemplo, a praia está ali e você não gasta para as crianças se divertirem lá. Quando estamos com criança eu gosto de viver a vida da cidade. Passear, tomar um café, achar um parquinho legal para as crianças brincarem. Acho que vale a pena fazer um “slow down”, reduzir o ritmo e viver um pouco aquele novo país, sentir como as pessoas locais vivem o dia a dia delas. O que é super válido para a gente e para as crianças.

Frutas típicas do sudeste Asiático.

Como vocês fizeram com a alimentação dos pequenos?

Nós tentamos comer os alimentos que comíamos em casa, por exemplo arroz, legumes, carne e ovo. Lucas tinha 2,5 anos e gostavam de experimentar frutas e alimentos diferentes, só não gostava dos pratos apimentados. Mas ele comia muitas verduras e frutas. No sudeste asiático tem muitas frutas e são baratas. E onde parávamos para comer escolhia algo que agradasse ele.

Já o Tomas tinha 4 meses no começo da viagem e fizemos a introdução alimentar dele lá com 6 meses oferecendo frutas e alguns legumes.

* Conheça no link o e-book Alimentação Infantil em Viagens preparado com muito carinho pela Maracy

Em relação a saúde deles. Vocês tiveram algum problema? Quais cuidados vocês recomendam?

A grande preocupação foi ter um seguro saúde bom e que cobrisse todo o período da nossa viagem e qualquer problema que tivéssemos. Antes da viagem todos nós fizemos um check-up de saúde e dentário e reforçamos algumas vacinas. E a dica é ver quais vacinas o país de destino exige que você tenha para entrar nele.

Levamos uma super farmacinha. Tinha todos os remédios básicos para criança e para diarreia que era minha grande preocupação, mas eles não tiveram nada sério. Apenas febre em razão dos dentes que estavam nascendo.

Mãe e filho curtindo o por do sol em Ao Nang, Krabi

Em qual parte da viagem vocês mais sorriram?

Quando estávamos na praia. Nossa preocupação era tomar café da manhã e ver qual parte da praia íamos, qual parte da ilha. Gostávamos porque podíamos deixar as crianças mais soltas para poder brincar. Curtir o por do sol sem ter hora para nada, poder curtir esse momento em família foi incrível.

De modo geral, o que vocês recomendam?

Independente de ser uma viagem curta ou longa, saia de casa e aproveite o tempo com seus filhos. Conheça um lugar novo! Nem que seja um bairro do lado de casa que vocês nunca foram. É sonhar, ter uma lista de desejo de lugares que quer conhecer. Estar com seus filhos 24 horas é uma ótima oportunidade de olhar melhor os interesses e as necessidades dos que estão ao seu lado.  

Passeio de elefante em Krabi, na Tailandia

E o que vocês não recomendam?

Não recomendo ir para um país na época que o local não é bom (ou muito quente ou muito frio), mesmo se você só tiver aquela data para viajar. Porque você pode perder o melhor do local ou aproveitar pouco.

Outro ponto, é saber o que você realmente quer. Porque se forçar a fazer uma viagem que não é a sua cara ou não gostar do estilo do lugar, você irá apenas gastar dinheiro à toa e pode se aborrecer.  

O que o Lucas mais gostou durante viagem?

Até hoje, ele gosta de ver os vídeos do encontro dele com os cangurus. E também gostava de rezar para o Buda e tinha uma admiração pelas pessoas que rezavam. Gostava de correr na praia, de ter essa liberdade.

Singapore Zoo fica em uma reserva ecológica a 30 minutos do centro da cidade.

Para saber mais sobre essa aventura da Maracy, do Thales e os pequenos Lucas e Thomas conheça o blog www.pequenospelomundo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.