Seu filho já brincou hoje?

A brincadeira é um assunto recorrente nas rodas de mães, pais e profissionais que trabalham com a infância. Mais do que isso, é um assunto muito debatido porque as crianças estão brincando SEMPRE! Então, surge a curiosidade: porque as crianças brincam tanto? No que isso ajuda no desenvolvimento delas? E isso é importante mesmo?

Bom, as crianças já caíram aqui nessa Terra com o chip do “brincar” muito bem instalado. Cada momento é espaço para criar e explorar uma nova brincadeira e vemos isso ao observar uma criança. Todas as crianças brincam, e em todas as culturas. Mas não só elas, nós adultos também brincamos, seja com a dança, um esporte ou um jogo. E isso não é privilégio só dos seres humanos, os animais também brincam!!! Gatos, formigas, golfinhos e até elefantes brincam! E estudos mostram que quanto mais inteligente um animal, mais ele brinca! Isso com certeza nos chama a atenção e já nos dá uma pista de que temos algo importante aí, não é?menino usando chapéu e óculos

Ao contrário do que pensamos, a brincadeira não é só diversão e passatempo. Ela é sim cercada de muito prazer e alegria, mas tem também outras funções fundamentais para o desenvolvimento humano. Durante a brincadeira, criamos, testamos, planejamos e vivenciamos situações do dia a dia, momentos de conflito, desafios e fantasias; e ainda descobrimos e desenvolvemos nosso corpo e habilidades cognitivas, sociais, afetivas e psíquicas.

BRINCAR É SÓ PRAZEROSO?

Além disso, o momento de brincar pode estar cercado de momentos de enfrentamento e desprazer. Quando brincamos, interagimos com objetos e com o outro, entramos em conflito e desafiamos a nós mesmos, e isso pode não ser nada agradável. A brincadeira pode trazer a tona dúvidas dolorosas das crianças, frustrações de não conseguir realizar alguma atividade e dificuldade de se relacionar com os pares. Uma disputa por um baldinho no parque, a dificuldade de chutar uma bola, encaixar uma tampa ou alcançar um objeto são exemplos de um brincar que pode não ser tão legal. Esses momentos, entretanto, por mais que sejam difíceis, são também oportunidades de aprimorar essas habilidades e superar desafios.

 

crianças e lego

BRINCAR É O OPOSTO DE TRABALHO?

É comum diferenciarmos completamente a brincadeira do trabalho. Quantas vezes já ouvimos ou dissemos em tom pejorativo: “aproveita que a vida ainda tá fácil, agora você só tem que brincar”, “esse menino só brinca!” ou “estou trabalhando, é algo sério, não é brincadeira”. Será mesmo que a brincadeira é o oposto de trabalho? Será que a brincadeira não é também algo sério, no sentido de ser importante? Será que a brincadeira não é o trabalho da criança? Gostamos muito da diferença exposta numa palestra de que somos fãs: o manifesto pelo brincar (http://www.ted.com/talks/steve_keil_a_manifesto_for_play_for_bulgaria_and_beyond?language=pt-br). Lá o palestrante diz que o oposto da brincadeira não é o trabalho, e sim, a depressão!

Achamos o máximo e acreditamos nisso também. Brincar é sim importante e é um sinal de saúde. Uma criança que não brinca não está bem. E nos perguntamos às vezes o mesmo sobre os adultos. O que acham? Não nos sentimos bem quando brincamos? Será que estamos nos dando tempo de vivenciar nossas próprias brincadeiras?

TÁ CERTO, MAS O QUE APRENDEMOS BRINCANDO?

Pensando na importância da brincadeira para o desenvolvimento das crianças e, consequentemente, para o desenvolvimento humano, PONTUAMOS algumas das HABILIDADES desenvolvidas no BRINCAR.

Uso da linguagem na comunicação

Durante muitas brincadeiras, é preciso entender a proposta do jogo, explicar aos companheiros o que fazer, se engajar e acompanhar o processo do jogo. É preciso ser capaz de comunicar o que está acontecendo, criar uma linguagem comum de códigos para que todos compartilhem e brinquem juntos. Por exemplo, ao brincar de esconde-esconde, a criança precisa entender a regra do jogo, decidir de “quem é a vez de contar” e tirar dúvidas sobre locais em que pode ou não se esconder; e até discutir posteriormente se o local que se escondeu “valia” ou não.

Criar, fazer-de-conta

Na brincadeira, é possível aplicar conhecimentos que a criança adquiriu no cotidiano, ocupar diferentes papéis, criar situações com suas regras para que possa assimilar melhor algo que vivenciou ou gostaria de vivenciar e experimentar diferentes resultados. Por exemplo, uma criança que recebeu uma bronca ao não comer as verduras durante o almoço pode experimentar a situação de outro ponto na brincadeira ao brigar com sua boneca por “ficar escolhendo a comida” ou convencer sua boneca a comer “de forma mais saudável”. São resoluções lúdicas de conflitos emocionais que podem ajudar a criança a compreender sobre a autoridade e entender as regras de seu cotidiano. 

crianças brincando livres

Planejamento de estratégias  

Durante o brincar, a criança pode elaborar a melhor forma de fazer a brincadeira, “barganhar” para fazer com que as regras o favoreçam, planejar a melhor forma de se comportar e gerenciar a forma de se expressar. Esses são importantes recursos pessoais que envolvem também a construção de uma imagem positiva e segura de si. Não é muito legal entender como um jogo funciona e pensar em ideias de como fazer para vencer? E, para um bebê, como é importante ver um brinquedo distante que deseja e elaborar estratégias de como conseguir: chorar, esticar os braços, fazer força pra virar, estimular os primeiros passinhos…

Resolução de Problemas

Brincando, a criança aprende também a lidar com conflitos, a propor soluções, ouvir o grupo, negociar e tomar decisões. O parquinho é uma escola intensiva desse quesito! Negociar quem é o próximo no escorrega, vivenciar um “roubo” de brinquedo e decidir o que fazer se está num dia de chuva são exemplos de situações em que a criança terá que quebrar a cabeça – e nós também – para arrumar a melhor solução. E é importante dar esse espaço para ela – o que vamos discutir em nosso próximo texto!

Desenvolvimento afetivo

Durante a brincadeira, a criança entra em contato com seus sentimentos, e muitos! Experimenta alegria e excitação por um momento tão legal; muitas vezes, sente raiva e frustração por ter perdido no jogo ou pela brincadeira não ter sido do seu jeito; sente insegurança e medo numa brincadeira mais arriscada, como subir num brinquedo alto; experimenta orgulho e satisfação por vencer um desafio como atravessar uma ponte ou simplesmente encaixar a peça de um brinquedo. A partir daí, ela entra em contanto também com o poder ou não expressar esses sentimentos e pode ainda resolver esses conflitos emocionais de forma lúdica, como sugerindo brincar de ser o “rei” para se sentir mais segura ou de um vilão para elaborar sua raiva.

Desenvolvimento motor                   

É visível como a brincadeira ajuda a criança a exercitar e estimular habilidades motoras, trabalhando o corpo de forma livre e prazerosa. Equilíbrio, controle de movimentos, motricidade fina e grossa e percepção corporal estão sendo trabalhados em diferentes brincadeiras, como na corrida, cavar um buraco na areia, encaixar potinhos, chutar uma bola, brincar de estátua e desenhar.

E porque queremos ressaltar a importância da brincadeira? Para podermos defendê-la! A brincadeira tem cada vez mais perdido seu espaço para atividades super direcionadas, sendo desmerecida e vista como algo bobo ou não sério. A brincadeira faz parte do desenvolvimento saudável e natural do ser humano, e deve ser constantemente respeitada e valorizada, em todas as fases da vida, principalmente, na infância.

 

Na próxima quinta-feira 30/06, vai acontecer o nosso SOS MÃES hangout, um bate papo online e ao vivo onde vamos conversar mais sobre a importância da brincadeira e como brincadeiras simples podem estimular as potencialidades das crianças. Prepare suas perguntas!

Visite-nos também em nosso site e facebook e não perca as promoções exclusivas para as mães do SOS MÃES no hangout da próxima semana!!!!!

Inscreva-se no facebook, para você acompanhar as atualizações: SOS MÃES hangouts no facebook 

Inscreva-se no canal do youtube : SOS MÃES hangouts 

 

Carinhosamente,

Laís e Lorena – DimDom Babysitters

*assistam também a essa série de vídeos, incluindo o “manifesto pelo brincar”, falando sobre a importância da brincadeira. Em todos é possível colocar legenda.

http://www.ted.com/playlists/383/the_importance_of_play

https://www.youtube.com/watch?v=HpiqpDvJ7-8

 

Fonte das imagens:

http://morguefile.com/p/855979

http://morguefile.com/p/1009264

http://morguefile.com/p/980677

https://pixabay.com/pt/beb%C3%AAs-crian%C3%A7as-pureza-brincar-1323340/

https://pixabay.com/pt/jogar-lego-duplo-compila%C3%A7%C3%A3o-184783/

http://morguefile.com/p/1005325

http://morguefile.com/p/958431

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.